Guia para curiosos – 10 fatos sobre a cachaça que você não sabia

E então, queridos leitores. Que tal começar essa semana com algumas curiosidades sobre a cachaça e o seu mercado? Dê uma aliviada desta segunda-feira, e venham conosco:

~.~.~

1 – Por quê comemoramos o Dia Nacional da Cachaça no dia 13 de setembro?

1

Foto original: Leo Feltran – Pinterest VEJA SÃO PAULO

De acordo com historiadores, a produção de cachaça, nos tempos coloniais, já era uma atividade econômica importante no país. Mas Portugal não gostava nada disso, uma vez que nossa caninha estava reduzindo o consumo da bagaceira, uma bebida típica europeia. Assim, através de uma Carta Real, escrita em 13 de setembro de 1649, os portugueses proibiram a venda e fabricação da cachaça. Nem precisamos te contar que nossos produtores não deixaram isso quieto, né?  Indignados com tal decisão, somada às revoltas com as constantes cobranças de impostos e perseguição àqueles que vendiam a bebida ao longo dos anos, os donos de plantações de cana-de-açúcar e alambiques se revoltaram no dia 13 de setembro de 1661 e tomaram o poder do Rio de Janeiro por 5 meses, resultando em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional que fez da Cachaça um símbolo de resistência contra a dominação portuguesa. Esse episódio ficou conhecido como a Revolta da Cachaça.

2 – Sabe o maior barril de cachaça do mundo?

2

Foto original: Jamille Andrade – Site Rascunhos de Fotografia 

De acordo com o Guinness Book, ele mora no Museu da Cachaça, localizado no IPark, em Maranguape – Ceará. Medindo oito metros de altura, o barril tem capacidade para 374 mil litros. E esse museu é um excelente passeio. Ele convida todos os curiosos a conhecerem a história da produção da cachaça no Ceará. Dentre as atrações, estão o casarão que abriga o Museu, construído no século XIX, e um acervo de relíquias e reproduções feitas entre os séculos XVII e XVIII. Para quem quiser saber mais sobre o IPark, é só clicar aqui.

3 – Não fique chateado com o 7×1 da Alemanha

3

 Foto original: Tiago Queiroz – Pinterest Estadão

A gente sabe que o 7×1 foi bem traumático, mas sabia que a Alemanha é o país que mais importa cachaça do Brasil, seguida pelos Estados Unidos e França? Em 2015, ela gastou cerca de 2,5 milhões de dólares com a importação da nossa caninha. Então, derrotas futebolísticas à parte, ela contribui demais com o crescimento da nossa bebida oficial.

4 – Abundância em tudo

10

Créditos: Pinterest – Folha de S. Paulo

Como se não bastasse a riqueza e variedade de praticamente tudo que nasce aqui, no Brasil existem, aproximadamente, 4.000 marcas de cachaça que disputam o mercado brasileiro. É pra ter orgulho mesmo!

5 – Quer produzir cachaça, meu bem? Só no Brasil!

4

Créditos: Pinterest – site Clube do Alambique

Em 1996, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a cachaça foi legitimada como produto tipicamente brasileiro, fazendo com que fossem estabelecidos critérios de fabricação e comercialização. Então, assim como o Sakê é do Japão, e a Tequilla do México, a Cachaça é nossa!

6 – Ao contrário da cachaça,  a cana-de-açúcar não é do Brasil

5

Créditos: Pinterest – site Siemens

Da família das gramíneas, a planta surgiu na ilha de Nova Guiné, no meio do oceano pacífico, e chegou aqui no Brasil somente em 1520, logo após a vinda dos portugueses. No Brasil a cana-de-açúcar só veio em 1520, após a chegada dos portugueses.

7 – Quanto mais madeira, melhor!

6

Créditos: Pinterest – blog Brasil no copo

Diferente das demais bebidas destiladas, a cachaça é a única bebida que pode ser envelhecida em mais de 30 tipos de madeiras diferentes, e adivinha: a maioria delas é brasileira. Ou seja, mais um ponto para nós.

8 – Artesanal x Industrial

7

Créditos: Pinterest – site Pelas estradas de minas

A cachaça pode ser feita a partir de dois processos: o Industrial (ou de Coluna), que por possuir um procedimento mais ágil, é geralmente usado para produzir grandes quantidades de cachaça; e o Artesanal, onde o mosto é destilado de forma mais lenta e minuciosa em alambiques de cobre. A diferença entre estes dois costuma gerar polêmica, por isso, é bom saber que, para que a cachaça seja de qualidade, a responsabilidade está diretamente nas mãos do produtor. Não importa qual método ele escolha usar, desde que saiba trabalhar com este de forma correta. Acredita-se que 70% da cachaça produzida no Brasil é de Coluna, enquanto 30% é artesanal.

9 – A marvada e a batalha

8

Créditos: Pinterest – blog Revolta de Canudos

De acordo com o Prelúdio da cachaça, escrito por Luís da Câmara Cascudo, existia uma tradição de misturar cachaça com pólvora para dar coragem aos soldados durante as batalhas. Existem registros destra tradição em conflitos como os da Cisplatina, do Paraguai e de Canudos.  

10 – Aguardente x Cachaça

9

Créditos: Pinterest – Catraca Livre

Sabe ‘’cachaça de limão’’, ‘’cachaça de gengibre’’, ou ‘’cachaça de café’’ e outros? Bom, isso não existe. A cachaça é o mosto fermentado de cana e ponto final (quando digo ponto final, é porque é lei). O nome correto para esses tipos de bebida é aguardente composta.

Deixe uma resposta