Utilizar matéria-prima de qualidade é um fator crucial para qualquer tipo de produção, no caso da produção de cachaça não seria diferente. A rentabilidade e a qualidade do seu produto dependem, a princípio, da escolha da variedade correta.

Dessa forma, não saber qual a melhor espécie de cana a ser utilizada em sua região pode culminar em danos para seu Alambique.


Quer aprender tudo o que precisa sobre a produção de cachaça, desde as etapas de confecção da bebida até o planejamento do seu alambique? É só fazer nosso curso Planejamento e Gestão de Alambiques (com certificado). Para saber mais, é só clicar no botão abaixo.


Com o intuito de ajudar você produtor, o  Cachaça Gestor preparou esse artigo com algumas dicas relevantes à respeito da escolha certa da matéria-prima para a sua bebida. Vamos lá?


Dado um primeiro momento é preciso entender que cada espécie de cana se adapta de forma diferente a cada tipo de região, por exemplo, na Região Norte você utilizará uma espécie, já na Região Sul a espécie será outra diferente. É imprescindível levar em consideração variáveis como o tipo de solo da região, quantidade de chuva recorrente e a inclinação do terreno.


Bom, você deve estar se perguntando quais características a cana deve possuir para que você produza a melhor cachaça.

O que levar em conta na hora de escolher o tipo de cana ideal?


A cana-de-açúcar ideal tem que ser resistente às principais pragas e doenças, resistente à tombamentos, baixo teor de fibras, fácil despalha e alta produtividade. Vale destacar a escolha para um tipo com alto teor de açúcar, se a espécie será precoce, média ou tardia.


As espécies precoces apresentam um teor de sacarose superior a outras no início da safra com o teor máximo de açúcar alcançado de agosto a setembro.


Já as do tipo média apresentam um teor de sacarose superior a outras no meio da safra sendo o teor máximo de açúcar alcançado em setembro.

Por fim, as do tipo tardia que apresentam um elevado teor de sacarose em meados para o final da safra.


Há muitas opções de espécies de cana-de-açúcar disponíveis


Você, que é produtor, deve sempre buscar novidades e informações em outras fábricas, assim como na sua região. Quais são as espécies que melhor se adaptaram, e quais não foram tão bem assim? Uma boa dica é plantá-las em pequenos lotes e verificar os resultados.


As canas do tipo tardia por exemplo, já não são mais tão presentes no mercado, os estudos estão mais direcionados para as canas do tipo precoces e super precoces, ou seja, busca-se muito a precocidade. Sendo assim é de enorme valia que o produtor pesquise e fique atento as novidades no mercado.

 

Existem Institutos de pesquisa especializados em desenvolver novas variedades de cana, como o Centro de Tecnologia Canavieira e o Instituto Agronômico em Campinas. Ambos trabalham para o melhoramento genético das espécies de cana e tem contribuído de forma intensa para a modernização da canavicultura.


Espera aí! Com toda essa modernização e novas espécies de cana surgindo, é possível produzir cachaça o ano inteiro?


Infelizmente não. Em épocas de chuva o cultivo de cana se torna muito difícil, a não ser que você esteja em um lugar onde quase não chova, em contrapartida se a plantação estiver localizada em um lugar com pouca chuva terá que ser irrigada, a falta de água pode se tornar um problema.


Uma possível alternativa é estocar o melado na entre safra e produzir com melado, porém, seu produto será aguardente de melado ou rum, e não cachaça.


Para você que deseja produzir mais ao longo do ano o ideal é mesclar os tipos de variedade de cana que possuem ciclos de maturação diferentes que cobrem todo o período de safra, fazer uma rotação entre as espécies precoce, média e tardia.


Depois de plantar a espécie que mais se adéqua a sua região e ao seu produto, você poderá fazer até 5 cortes por canavial com uma média de 100 toneladas por hectare.


Veja abaixo um exemplo:


Um alambique que produz 60.000 litros precisará de 6 hectares bem plantados e uma área de renovação de 1,2 hectares para suprir a demanda do seu alambique, ou seja, serão necessários na verdade 7,2 hectares.


Portanto, se você já é produtor ou deseja começar a produzir aí vai a dica mais importante: uma cachaça de qualidade começa na escolha das matérias primas, boas práticas e bons tratos culturais.


Para mais dicas valiosas como essa não deixe de assistir ao vídeo abaixo onde o nosso parceiro Arnaldo Ribeiro, proprietário da Fazenda Escola Cana Brasil esclarece essas e outras dúvidas sobre o cultivo de cana:

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *